Resenha - Objetos Cortantes

Objetos cortantes, Gillian Flynn
Editora Intrínseca, 2015




 Camille Preaker deixou a cidade de Wind Gap há muitos anos. Atualmente atuando como repórter do Daily News de Chicago. O assassinato de duas garotinhas em Wind Gap chama a atenção do seu chefe e por pensar que seria mais fácil para alguém que viveu lá cobrir a matéria, ele a manda de volta pra casa. 


 Camille tem problemas com a família, desde que sua irmã Marian faleceu. A mãe de Camille é uma mulher difícil e a menina desde a infância nunca se sentiu amada. Logo que pode, então ela se mudou.
 De volta à cidade, ela pede pra ficar na casa da família, onde vivem a mãe, Alan, o padrasto e sua irmã caçula, Amma, quem ela mal conhece. 

 Camille se acha uma jornalista mediana e ser da cidade, que é uma cidade pequena, ao invés de facilitar a vida dela, acaba não colaborando muito. Ela acaba se envolvendo com Richard, o detetive encarregado do caso, que também veio de outra cidade. Eles acabam trocando informações sobre o caso, cada um querendo cumprir o seu objeto ali. O caso é que duas garotinhas ficaram desaparecidas e dias depois os corpos são encontrados. Os corpos foram cuidados, limpos e tiverem todos os dentes da boca arrancados. O único traço em comum entre as garotas mortas é que elas eram tidas como "estranhas", nada de garotas populares por aqui.

 Falando de garotas populares, entre elas, se acha Amma, a irmã caçula que na frente da mãe é uma e por trás é outra bem diferente. Amma é uma garota bem peculiar, percebemos durante a leitura. A relação da família com Camille é estranha. 

 Alguns personagens são os suspeitos mais evidentes. O pai de uma delas ou o irmão de outra? Há uma testemunha, um garotinho que diz que uma das garotas foi levada por uma mulher. Será? 



"Odiei lembrar à minha mãe que essa era a natureza de uma menina morimbunda e confusa de dez anos. Por que me dar o trabalho? É impossível competir com os mortos. Eu gostaria de conseguir parar de tentar."

 Além de estar cobrindo esses casos, lidando com conhecidos que não gostam tanto assim de sua presença, estando no meio de uma família com sérios problemas, Camille ainda por cima foi e é assombrada pelo fantasma da irmã morta. Após a morte da irmã e em consequência do temperamento da mãe, Camille se corta. Mas não são os cortes comuns que sabemos que quem sofre de depressão e transtornos mentais fazem. Ela escreve em seu corpo com lâminas. O corpo sendo praticamente todo "escrito". Problemas com álcool também rondam e essa volta aos fantasmas pode não ser nada boa em relação à isso. 

 O livro tem uma leitura que flui como água e os mistérios da narrativa vão aumentando conforme o decorrer da história. Além do serial killer (?), ficamos tentando solucionar os mistérios que envolvem a família dramática. Um suspense envolvente que te prende do início ao fim. Mais um dos livros de Gillian Flynn que super lhes recomendo. Vale a pena conferir!


"Eu estou aqui, falei, e essas palavras pareceram chocantemente confortantes. Quando entro em pânico eu as digo a mim mesma em voz alta. Eu estou aqui. Não costumo sentir que estou. Sinto como se uma rajada de vento quente pudesse soprar em minha direção e me fazer desaparecer para sempre, nenhuma ponta de unha deixada  para trás. Alguns dias acho essa ideia reconfortante; em outros, ela me dá arrepios."

Beijinhos da Beta




2 comentários

  1. Amo os livros da Gillian Flynn são sempre tão crus e realistas (na minha opinião claro) ainda não li Objetos cortantes, ele tá na minha lista deste ano!

    Adorei a resenha!!!

    patybookaholic.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Eu tenho amado muito cada livro dessa autora. Objetos Cortantes é muuito bom, Paty. Pode ler que vais gostar.

      Beijo, meu amor *-*

      Excluir

Topo